quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

V de Vingança

     
Nome original: V for Vendetta
Direção: James McTeigue
Elenco: Natalie Portman, Hugo Weaving,Stephen Rea, John Hurt
Gênero: Ficção
Ano: 2006


     Em um futuro incerto, em uma Inglaterra totalitária, surge um opositor mascarado (codinome "V") que planeja uma revolução contra o sistema com a ajuda da jovem Evey. É um filme de ficção política inteligente e extremamente marcante.
     As semelhanças do governo do chanceler inglês Sutler com o nazismo de Adolf Hitler são incontestáveis. Isso foi um dos motivos que tornou o filme tão emocionante. O roteiro do filme é brilhante e inteligente e junto com os diálogos proporciona uma sensação inédita ao espectador de criar um governo monstruoso nesta nossa sociedade tão marcada pela democracia. Até essa obra de James McTeigue, esse tipo de tema em filmes se restringia no máximo em reconstruções do III Reich. As ideologias monstruosas tendo como cenário a Inglaterra fazem de "V de Vingança" uma trama magnífica. Para quem gosta de cenas de ação, vale ressaltar que em meio aos conflitos políticos e apelos sentimentais, há também cenas de luta que merecem respeito. Não só o personagem revolucionário "V", mas todo o roteiro, tornam a obra obrigatória para todos. A parte na qual Evey é "presa" e aquela cena em que os cidadãos americanos saem às ruas fantasiados merecem aplausos. Todo o filme transpira inspiração para a luta, otimismo e coragem. Precisamos dos três em relação à nossa sociedade pois, principalmente nós brasileiros, estamos acostumados à submissão. O filme talvez tenha pecado em alguns pontos onde injetou ficção desnecessária e que só afastaram a história da realidade, tal como o vírus mortal, mas isso não conseguiu estragá-la.

2 comentários:

Angelus disse...

Comecei a ver esse filme numa longa viagem de avião, e estava me agradando muito. Mas pela minha impaciência e pela impossibilidade de pausar o filme durante o vôo, acabei desistindo de vê-lo por completo naquela época.

Seu post me relembrou o filme e agora pretendo alugá-lo para saber o desfecho da história, valeu! \o

Estêvão dos Anjos disse...

Anarquia pura e uma boa reflexao política. Muito bom esse filme