sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Efeito Borboleta

     
Nome original: The Butterfly Effect
Direção: Eric Bress e J. Mackye Gruber
Elenco: Ashton Kutcher, Kamy Smart, Elden Henson, William Lee Scott, Eric Stoltz
Gênero: Suspense
Ano: 2004


     Apesar de ter Ashton Kutcher, espere mais de "Efeito Borboleta".
     Assim que terminei de revê-lo, lembrei na hora de outros dois filmes que vi há pouco tempo: "Corra, Lola, Corra" e "Magnólia". Os três tratam de coisas que poderiam ser, fatos que poderaim ter acontecido, a infinidade de rumos que nossa vida pode tomar, mas principalmente: como afetamos a vida de outras pessoas.
      Evan descobre que tem a capacidade de voltar em acontecimento passados em sua vida e alterá-los e o faz, o que causa consequências no futuro que cada vez mais exigem uma correção. Esses acontecimentos que Evan tenta corrigir giram em torno dele e de seu grupo de amigos, durante a infância e adolescência, que é composto por Kayleigh, Tommy e Lenny. Ou seja, os três exercem influência na vida um do outro, e as alterações que Evan faz no passado influenciam o futuro dessas três pessoas.
      Para tratar de tal tema, Eric Bress e J. Mackye Gruber tiveram que fazer extremas simplificações de como a lei de ação-reação funciona. Por exemplo, os fatos que Evan pode alterar são sempre os mesmos e mesmo assim, uma sutil mudança torna o futuro dos personagens totalmente diferentes, ignorando o restante de suas vidas que não se resume a tais fatos. Isso não é uma crítica, pois acredito que escrever um roteiro mais bem feito sobre esse assunto seja desnecessário, tendo em vista que o desse filme já é muitíssimo interessante. Além de tudo, a singularidade da história de "Efeito Borboleta" supera expectativas e vai te surpreender.

2 comentários:

Bobby disse...

Excelente mesmo, o 1 e 2. Gostei mais do 1.

Simone disse...

Voltar ao passado e mudar o que já aconteceu, a vida seria um vai e vem, ninguém nunca está totalmente satisfeito com nada, mas isso é bom pois é essa inquietação que nos move.
Mas vai além disso, pensar em nossa ações do presente e como interferimos na vida das pessoas.
Sim, este filme me surpreendeu e superou minhas expectativas.
"O que tem de acontecer, acontece... independente de nossa vontades?" Divagações...